Cada vez mais, a internet é parte da vida das pessoas. Inclusive, já se diz que as barreiras entre a vida online e offline estão sendo derrubadas, não havendo diferenciação efetiva entre o que se vive virtualmente e o que se vive na realidade.

Essa ampla influência da hiperconectividade mudou, nos últimos 20 anos, a forma como lidamos com nossas relações pessoais, profissionais e de compra. É nesse sentido que se fala de um perfil do novo consumidor.

Se antes o consumidor era uma parte passiva na relação de compra, a quem cabia a escolha na etapa de conversão de vendas, tendo uma comunicação hierarquizada com as empresas, agora se tornou uma parte mais ativa, capaz de influenciar no processo de decisão e exercer a comunicação horizontalizada em tempo real.

Seja no smartphone, tablet, notebook ou smartwatch, a internet mudou nossos hábitos de consumo irremediavelmente. Consumimos muito mais produtos e serviços em muito menos tempo, sem sequer nos darmos conta disso.

Seja no app do Banco, nas compras online ou ao efetivar uma matrícula em um curso digital, estamos todo o tempo diante de opções variadas e que brigam por nosso interesse.

Assim sendo, as empresas precisam se adaptar a esse novo perfil de consumidor conectado. Para isso, necessitam entendê-lo e descobrir como atraí-lo. Para saber como lidar com o novo consumidor digital, continue lendo nosso post!

Ele deseja

O que move o consumo, especialmente na internet, é o desejo. Mesmo quando o consumidor está suprindo necessidades básicas como alimentação e higiene, é possível apelar ao emocional e ao que se deseja para conseguir conquistá-lo.

O desejo, dentro do novo perfil de consumidor, é uma força motriz ainda maior, visto que, pela grande conexão, ele está sempre sendo exposto a seus objetos de cobiça.

Saber como lidar com o desejo de consumo é uma das tarefas essenciais das empresas, alcançada por campanhas de marketing profissionais e estruturadas, por exemplo.

Ele pesquisa

Com o algoritmo do Google e a internet de banda larga, ficou muito mais fácil para o consumidor fazer pesquisas de preço e de qualidade dos produtos. Isso tornou o hábito de pesquisar parte integrante do novo perfil de consumo, não apenas para as compras online, mas mesmo para as compras físicas.

Isso porque, hoje, mesmo antes de ir à uma loja ou fazer uso de um serviço, o potencial cliente busca informações na internet, opiniões de outros usuários etc.

Ele conversa

Um dos hábitos que faz parte desse novo perfil de consumidor é a sua capacidade de interação com as marcas e com outros consumidores. Está preocupado com saber como a empresa reage a ele, tanto quanto se preocupa com produto ou serviço que deseja consumir.

Significa que ele utiliza diversos meios de comunicação com o seu negócio, que precisa atender essa demanda, seja pelas redes sociais, e-mail, mensagens no WhatsApp ou mesmo na loja física.

Aqui entra, por exemplo, a estratégia omnichanel, que é a integração entre os vários canais de comunicação possíveis, virtuais e físicos, a fim de proporcionar uma melhor experiência ao usuário.

Ele demanda atenção

Não basta mais apenas apresentar o produto ou serviço e esperar o potencial cliente vir até sua empresa. Hoje, é preciso dar atenção a esse novo consumidor e nutri-lo com conteúdo e informações para influenciar diretamente sua escolha.

Para isso, aplicam-se estratégias de marketing digital como o inbound, produção de conteúdo, automação de marketing, marketing de influência, dentre outras. Tudo para conseguir a conectividade e aproximação necessárias.

Como podemos ver, os hábitos de consumo mudaram. As diferenciações entre o potencial cliente virtual e real são cada vez mais tênues, quase inexistentes. Além disso, o perfil do novo consumidor é mais ativo, antenado, capaz de ter mais informações em menos tempo para tomar sua decisão, seja no mundo digital ou físico.

Por isso, é importante combinar todas as novas estratégias possíveis e modernizar algumas das antigas, como abordado em nosso artigo sobre a influência dos rótulos e embalagens no processo de decisão de compra do consumidor. Confira!

Escreva um comentário