Não basta só estar na internet, é preciso ter uma presença digital sólida, por meio das redes sociais e com um site adequado aos padrões de melhores práticas recomendadas pelo Google. Afinal, de que adianta ter um site se ele aparece na página 8 das buscas?

O novo consumidor não gosta de perder tempo, além disso, já foi comprovado, por uma pesquisa da imFORZA, que 75% dos usuários não passam da primeira página do Google e 35% dos cliques orgânicos são nos 3 primeiros resultados. Ou seja, está mais que na hora de fazer uma reformulação no site do seu negócio!

Para isso é preciso pensar, essencialmente, na experiência do usuário. De fato, todas as boas práticas sugeridas pelo Google, como os parâmetros de ranqueamento, nada mais são que isso.

Por essa razão o Google mede, como critérios de SEO, o tempo de carregamento, taxa de rejeição, escaneabilidade do texto, uso adequado de palavras-chave, entre outros elementos.

Para fazer uma excelente reformulação de site e com isso renovar a sua presença digital, continue lendo este artigo!

Aumentar taxa de conversão

Existem diversos termos no Marketing, principalmente no digital, que se tornaram cânones no empreendedorismo moderno. Entre eles estão as taxas de conversão e de rejeição de um site.

Embora não sejam efetivamente antagônicas, essas duas taxas possuem uma correlação inversamente proporcional, ou seja, é comum que quando a taxa de conversão é alta, a taxa de rejeição seja baixa.

A taxa de conversão é um indicador que mede quanto dos usuários estão realizando as ações propostas no site. Isso não significa apenas a conversão em vendas, mas todas as ações idealizadas no fluxo da jornada de compras.

Assim, assinar a newsletter, fazer um cadastro, entrar em contato com a empresa são todas ações de conversão.

A taxa de rejeição, por outro lado, mede o quanto de usuários abandonam o site sem convergir, além de também medir o quão rápido é esse abandono.

Entre as duas, a taxa de conversão é extremamente importante para a empresa, enquanto a taxa de rejeição é um critério relevante para o SEO.

Quanto maior e mais rápida a taxa de rejeição, menor o ranqueamento no Google, por exemplo.

Proporcionar uma nova experiência ao usuário

Portanto, é preciso começar a se preocupar com a experiência do usuário no site. Quanto mais prazerosa, intuitiva e atrativa ela for, maior a chance de aumentar a taxa de conversão e diminuir a taxa de rejeição.

Para além das práticas de SEO, existem outras questões que devem ser consideradas para aprimorar a experiência e melhorar a presença digital.

Um site com um design limpo e elegante, produzido com profissionalismo e qualidade, é um ponto muito importante para qualquer usuário. Enquanto sites poluídos são mais facilmente rejeitados.

Além disso, o design também é imprescindível para que a página seja intuitiva e de fácil navegação, ponto que aumenta as chances de conversão.

site reformulado: www.marinabianchi.com.br
site reformulado (responsivo): www.marinabianchi.com.br

Melhorar as práticas de SEO

As práticas de SEO são uma das mais árduas e complexas tarefas do Marketing Digital, visto que devem acompanhar o aprimoramento dos algoritmos do Google e também das redes sociais.

Elas englobam o uso de palavras-chave, criação de conteúdos estratégicos focados na informação e escaneabilidade, linking building interno e externo, velocidade de carregamento das páginas, cintando apenas alguns dos critérios.

Para uma presença digital consolidada, com uma alta taxa de conversão, baixa taxa de rejeição, design intuitivo e responsivo com boas práticas de SEO, é preciso uma reformulação de site bem estruturada, dentro de critérios desenvolvidos com profissionalismo, além de um constante benchmark para analisar a concorrência. Afinal, eles estão tentando o mesmo que sua empresa.

Por isso, mantenha-se sempre atualizado. Assine nossa newsletter!

2 Comentários

  1. BZ, postagem excelente!
    Nós advogados não podemos dispor dos sistemas convencionais de comunicação com o cliente. As mídias digitais suprem de forma bastante eficiente essa peculiaridade da profissão.

    A BZ bem que poderia criar produtos e sistemas de comunicação digital específicos para a advocacia e sociedades de advogados.

    Para contribuir com o debate sobre o assunto, encaminho um artigo simples, porém orientador: https://rafaelcosta.jusbrasil.com.br/artigos/182556034/advogado-nao-pode-fazer-propaganda.

    • BZ Propaganda & Marketing
      BZ Propaganda & Marketing Responder

      Muito obrigado Messias e Abreu,
      Sabemos dessa dificuldade, inclusive temos um case em nosso portfólio.

      http://amaralmonteiro.com.br/
      Com o escritório Amaral & Monteiro trabalhamos com campanhas em mídia digital.

Escreva um comentário