O merchandising é um conceito estratégico de marketing que reúne um conjunto de técnicas para a melhor exibição de um produto dentro ou fora do ponto vendas. Ao contrário da publicidade tradicional, que pode ou não mostrar o produto anunciado, em qualquer dos tipos de merchandising existentes o item que está sendo vendido será exibido.

É um modo muito eficiente de acelerar as vendas de um produto que, muitas vezes, proporciona uma experiência do cliente antes mesmo da sua compra. Como acontece, por exemplo, nos quiosques de degustação, muito comuns em supermercados. Quem nunca levou para casa uma marca nova de bolacha que experimentou enquanto fazia compras?

Existem vários outros tipos de merchandising comumente utilizados para alavancar as vendas de produtos, além de outros mais atuais e inovadores que envolvem, até mesmo, os meios digitais. Para que você entenda exatamente qual é o papel de cada um deles, elaboramos este post em que explicaremos os principais e, ainda, listaremos as vantagens de utilizá-los.

Confira!

Quais são os principais tipos de merchandising?

Umas das principais premissas do merchandising é explorar os sentidos básicos no consumidor ― olfato, tato, paladar, visão e audição ― para fazer com que ele tome a decisão de compra. Cada um dos tipos de merchandising pode envolver um ou mais sentidos.

Conheça os principais nos tópicos a seguir.

1. Merchandising no ponto de venda

É um dos tipos mais comuns de merchandising existentes e trata das ações realizadas no ponto de venda para dar mais destaque ao produto em relação aos concorrentes.

Pode ser feito em qualquer ponto da loja, como nas prateleiras, em gôndolas, no caixa, no chão, em banners, monitores e painéis digitais, bem como por meio da exibitécnica e do vitrinismo que veremos a seguir.

2. Exibitécnica

A exibitécnica é um dos modos mais criativos de merchadising de ponto de vendas e, por isso, trataremos dela separadamente. Trata-se de um modo de dar destaque aos produtos que vai além da exposição em locais privilegiados das prateleiras.

Na maioria dos casos, se criam “ilhas” de exibição, exclusivas dos produtos, sobre o próprio chão da loja. Nesses locais, os itens são empilhados formando verdadeiras esculturas, ou são dispostos sobre expositores criadas especificamente para aquela ação com os mais diversos formatos. Muitas vezes são utilizados recursos de interatividade com o cliente nessas ações.

3. Vitrinismo

O vitrismo faz parte do conjunto de técnicas conhecido como merchandising da sedução. Ele se utiliza de um pequeno espaço da loja, destinado a funcionar como vitrine, para criar verdadeiros ambientes completos de exposição do produto, que normalmente seguem um tema ou composição de cores e formas bem específicos.

É comum, por exemplo, em lojas de decoração, ver um “cômodo” decorado na vitrine, ou ainda, em lojas de roupas, manequins vestidos com peças em cores que conversem entre si e estejam dentro de um mesmo estilo. Também podemos citar as sazonalidades, como as vitrines de lojas de brinquedos com decoração natalina.

4. Amostras grátis

Embora seja bem comum em pontos de venda, a distribuição de amostras grátis pode ser feita em qualquer lugar: em shoppings; restaurantes; na praia; na rua; e até pelos correios. Hoje em dia existem sites especializados na distribuição de amostras, nos quais o próprio cliente se cadastra para as receber em casa.

5. Online Visual Merchandising (OVM)

Os e-commerce também são “pontos de venda” e precisam de estratégias para exibir os produtos vendidos de modo que se destaquem da concorrência, que no ambiente online é muito mais acirrada: está a apenas um clique de distância.

Como no meio digital é mais difícil explorar outros sentidos além da visão, o OVM explora recursos como a proporção das imagens do produto dentro do grid do site; as fotos; cores; movimentos; e outros efeitos visuais capazes de fazer com o que o item salte aos olhos do consumidor.

Algumas empresas mais inovadoras conseguem se aproximar ainda mais do cliente digital por meio do envio de brindes e amostras para clientes cadastrados, por exemplo.

Por que investir em merchandising?

Existem diversas vantagens no investimento em merchandising e a maioria delas pode ser percebida de modo mais imediato do que em outras táticas de marketing. Veja algumas:

  • acelera a decisão de compra do cliente;
  • aproveita e valoriza espaços inexplorados do ponto de venda;
  • aumenta a rotatividade do produto;
  • diferencia o item frente à concorrência;
  • atrai novos clientes;
  • gera fidelização e agrega valor ao produto e à marca.

Como você viu, há várias formas de explorar os diversos benefícios trazidos pelo merchandising, inclusive para quem vende nos meios online. Por isso, seja qual for o seu produto, é importante usar a criatividade para descobrir novas formas de aproximar a sua marca do consumidor e, consequentemente, aumentar as suas vendas com o uso dos diferentes tipos de merchandising.

Se você curtiu este conteúdo, assine a nossa newsletter e receba outros de temas correlatos diretamente no seu e-mail!

Escreva um comentário